15 February 2011

Borboleta

Certa vez estava conversando sobre cantores com uma amiga. E eu disse que não gostava da cantora 'x' [ vamos manter a ética e respeito pelos gostos alheios, ok?!]. E ela disse que gostava de tal cantora, e eu perguntei o motivo, e ela me disse que ela era muito inteligente, pois dizia que sua maneira extravagante de se vestir era uma forma de mostrar aos seus fãs - e pessoas ao redor do mundo - que eles podiam ser aquilo que quisessem e não seguir as ditaduras que a sociedade nos impõe.
Pois bem, esse é um certo clichê, certo? 'Seja quem você é, não se prenda a sociedade, bla bla bla'.
Essa frase ficou na minha cabeça, adormecida, mas em um sono agitado. E esses dias eu comecei a pensar sobre isso, e me peguei pensando que discordo totalmente do que ela diz. Não, nós não podemos ser aquilo que nós queremos, nós devemos sim ser nós mesmos, mas não aquilo que queremos.
Antes que você me me frite na banha de porco, vou explicar meu ponto de vista. 
Desde de sempre sou fascinada por contos de fadas, e príncipes e princesa. Meu sonho é me tornar uma princesa de um conto de fadas. 
Ou ainda uma grande modelo, pois sou fascinada por moda. Porém, a era de  príncipe e princesas já acabou faz um certo tempo, a não ser que eu case com algum príncipe perdido pelo mundo - o que eu acho pouco provável. Aliás na busca por países cujo governo é a monarquia foi bem produtiva, descobri países que nem imaginava que existiam - alguém já ouviu falar em Suazilândia, ou em Lesoto?. E descobri alguns países que monárquicos bem interessantes [ Nova Zelandia, Liechtenstein, Suécia, Noruega...]
 E caso ninguém tenha te contado, contos de fada não existem.
E quanto a minha carreira de modelo, bem com 1,67 de altura fica meio difícil entrar para o mundo das passarelas, tendo em vista que a altura mínima exigida para as mulheres é 1,72.
Eu também não posso ser um elefante, e nem uma borboleta, muito menos uma cama ou cortina.
Mas posso ser uma estudante feliz, que busca atingir as metas traçadas ao longo dos anos. E aceitar a ideia de ser uma pessoa, apenas uma pessoa, sem extravagâncias, sem desejos absurdos. Pois a chave da felicidade está em nos contentarmos com aquilo que somos, pois apenas nós sabemos o que é bom para si próprio. Querer ser algo diferente do que você é só vai te trazer tristeza.  E aprimorar aquilo que se é, vai abrir portas e trazer alegria. E cá entre nós, é muito mais fácil ser você mesmo do que imitar alguém. 

2 comments:

Ewerton said...

Hey Manana, você ainda se casara com um príncipe, talvez não em um de cavalo branco e olhos azuis, mas quem sabe com um príncipe com uma kawasaki e olhos castanhos?
A todos existe um príncipe/princesa "programado" é como se estivesse escrito, basta você ter a vontade de ler o livro certo.
bjooos conta comigo.

Killer Queen said...

Olha, sinceramente voce me surpreendeu nesse artigo. Ser quem você é, nao quem voce quer ser. É uma grande verdade. As pessoas querem ser os estereotipos criados pelo mundo. Buscam isso por buscarem uma identidade, um meio de auto afirmação. Ter o seu lugar no mundo, ser reconhecido por isso. Essa, além do estudo, é uma maneira de encontrar esse reconhecimento.
Aquilo que voce realmente é. Posso dizer que voce é uma garota linda, inteligente que esta em processo de amadurecimento diariamente.
tenho muito orgulho de fazer parte da sua vida
teamo