14 February 2017

Suja

       Olá! Como vão todos ?

       Estou péssima, horrível mesmo, mais pra baixo que c* de cobra - como diria minha mãe.Ultimamente me tornei uma pessoa detestável: rude, grosseira, cruel e seca. Estou assim há cerca de um mês, mas não com todos, somente com as pessoas mais próximas a mim, as pessoas que mais amo - e que eu acredito que também gostam de mim de verdade. Não sei por qual motivo me tornei assim, e não tem nenhuma justificativa aceitável para eu ter ficado assim. Certo dia o botão 'do mal' resolveu ligar e até então não havia se desligado - e eu fiz uma promessa para mim mesma, que eu não deixarei mais que ele ligue, nem sozinho, nem de forma alguma. Isso é terrível, é péssimo, é nojento. Vocês devem estar a se perguntar como foi que descobri que estava assim, bem, vou lhes contar brevemente: tenho 25 anos e ainda não tenho CNH, nunca tive vontade de dirigir, talvez até tenha certo medo - não sei, mas a verdade é que nunca tive esse anseio por tirar a carteira de motorista. Ontem tive minha primeira aula de volante, e foi quase traumático - apesar de saber dirigir, e ser uma motorista razoável, eu não gosto de pegar no volante, sempre acho que vai bater em algo, que um cão surgirá do nada, ou um carro ou pedestre, é uma agonia!
       Confesso que fiquei animada por ser uma experiência nova, mas fiquei muito feliz por ter acabado. Hoje pela manhã minha mãe me perguntou se estava mais animada com dirigir, ela foi gentil, foi legal, e eu fui estúpida com ela, sem o menor motivo. Joguei na cara dela que só estava fazendo as aulas pois ela havia me obrigado, que tudo o que eu pudesse não dirigir eu não dirigiria. Eu fui rude sem necessidade, joguei coisas na cara dela sem necessidade, aliás, não deveria nem ter falado para ela que ela me forçou - de fato o fez, mas poderia ver como ela investindo em mim e querer que eu progrida na vida. 
       Nessas últimas semanas, por motivo algum, tenho feito isso com as duas pessoas que mais gosto na atualidade, tudo eu acho que é ataque, descaso, desamor. Tudo eu acho que a pessoa não me quer, que sou alguém indesejado, que não sirvo. Tenho me sentido preterida, e parto para o ataque, só dou patadas, e sem motivos. Não tem motivos para eu enxergar o mundo como meu inimigo, na verdade eu tenho sido minha própria inimiga. Não sei explicar muito bem, mas revendo como eu me portei nas últimas semanas ( e isso não é coisa de duas semanas, mas bem umas quatro ou cinco ), tenho sido insuportável. Acredito que não houve motivo real para eu ter me armado tanto, ter enchido meu coração de orgulho e raiva, e atacar sem motivo as pessoas amadas. Uma delas tentou me alertar, e eu não ouvi, achei que fosse besteira - pois foi em um momento de briga, mas hoje vejo o quanto essa pessoa estava certa, quanto tempo eu desperdicei - literalmente joguei fora - por achar que os outros estavam contra mim, quando só queriam estar comigo, me amar, fazer parte dos meus dias, e eu de seus dias, conversar, trocar carinhos e bons momentos. Me armei por bobeira, e talvez perdi uma dessas duas pessoas que são tão importantes para mim. 
       Hoje em oração percebi como meu coração estava sujo, duro, estava cruel e isso foi um choque tremendo, foi uma tristeza para mim enorme, foi um balde de água fria que caiu e  que a água continua descendo. Ao me dar conta disso liguei imediatamente para minha mãe, chorei e pedi perdão, queria poder ter saído do meu trabalho e correr para os braços dela pedindo perdão. E agora, o que mais me dói, que rasga meu peito é eu não poder correr para abraçar e pedir perdão para a segunda pessoa que eu magoei, que se afastou com razão, que atualmente precisa de um tempo para colocar alguns sentimentos em ordem. Seria bom, seria perfeito poder chegar e falar "me perdoe por ter te atacado, me perdoe por ter sido tão dura, me perdoe por ter sido alguém diferente, alguém completamente diferente da minha real natureza. Sei que estou o cão chupando manga, sei que estou insuportável, eu sei! Acredite, estou me sentindo péssima, me perdoe, por favor"; infelizmente não sei se posso fazer isso agora, espero ter essa oportunidade em breve. Não é fácil você perceber o quão errada estava, o quanto você magoou quem estava ao seu lado, e sem motivos. 
       Eu realmente sinto muito por isso, queria poder recomeçar com todos os que magoei, queria pedir ajuda - mas isso é algo tão difícil, tão complicado admitir que você estragou tudo. Aliás, devo dizer nesse instante que estou novamente errada, acho que pedir perdão sincero, e pedir ajuda sincera não é difícil. Difícil mesmo é achar alguém disposto de fato a te ajudar, uma ajuda carinhosa, aquela ajuda bondosa. Todos temos potencial para nos tornarmos uma pessoa incrível, mas muitas vezes - aliás, todas as vezes - precisamos de uma pessoa ao nosso lado, que pegue na nossa mão e diga "eu vou com você". Já escrevi aqui antes sobre pedir ajuda, sei que essa grosseria é algo passageiro, que acabou nesse segundo, mas preciso me redimir. Sei que nem todos estão dispostos a dar essa nova oportunidade, essa chance de fazer corretamente, e isso é o que mais dói. Nota mental: necessito com urgência ouvir mais as pessoas ao meu lado, algumas vezes sei que elas estarão corretas, e outras não, mas quando a mesma frase se tornar recorrente, saberei que deverei parar, refletir e corrigir o erro, e se não souber como agir, pedir ajuda. 

1 comment:

Anonymous said...

Nossa... me vi em suas palavras... até chorei agora 😭